terça-feira, 8 de agosto de 2017

verso











O mundo é lá fora
aqui dentro, talvez
tudo o que não cabe no mundo

o tempo é agora
e esse contratempo
que sai do compasso do outrora

vida é senhora
ora porta, ora janela
é chave e segredo
coragem, espera ou medo









segunda-feira, 7 de agosto de 2017

indolor





vida, travessia
sempre um desejo atravessado
que torna o simples em inapropriado

o pensamento completamente difuso
é movimento parado
e o sentimento, um intruso

coração descuidado
se esquece da natureza das coisas
confronta o impossível com o que permanece

duro valor do silencio
frágil nobreza
armadura que sustenta um corpo esquecido

quisera fosse um bom aluno
da escola do mundo

quisera fosse apenas para aprender
assim, talvez, não seria tão incompreensível
atravessaria sem temer
entenderia sem doer

seria mais leve a noite
seria mais branda a solidão
teria menos sentido a canção







domingo, 6 de agosto de 2017

Quanto custa





quanto custa seu serviço?
seu contrato, seu produto
qual tabela tem seu ser,
sua força, sua vontade?

depende...
pode ser o valor agregado
pode ser cobrado com juros
com taxas por atraso no tempo
ser lucro ou défcit
descontado ou hora extra

pode ser negociado
com o peso e a medida
do que pensa
do que acredita

pode ser por consignação
por escambo
por jornada
por hora, período ou dia

pode ser descomplicado
por um prato de comida
por um favor amigo
por uma noite dormida

talvez apenas pagar a viagem
uma troca
nada mais

por honrar uma promessa
um acerto contra a vontade
por educação

mas pode custar um olhar
e ter a moeda da espera

pode custar a verdade
o silêncio
sua felicidade







sexta-feira, 4 de agosto de 2017

mais longe



terá mudado tanto assim?
o que eu não vi passar
e insiste em mim...

terá virado pra lá
perdido meu mapa
pagado outro caminho?

será que é mais longe agora?
será que é um só destino?

um dia talvez será possível ser mais verdadeiro
com a verdade
com a incerteza
diante de qualquer olhar ou qualquer presença

hoje só sei o que não ser
com essa sentença...






segunda-feira, 17 de julho de 2017

Espera





por algum bem
permanecer distante
desejo educado
represa plena  no silêncio das suas águas

um mar em um copo
o mundo num bolso
a sinfonia no papel
a história no papel
livros fechados

a memória na carne
que suspira pela janela do olhar

a visão que se completa
a canção que interpreta
a razão que vira fera
a espera
a espera...



quarta-feira, 5 de julho de 2017

momento








Queria, nessa imagem, estar
ficar apenas em silêncio
e olhar, olhar...

pouco a pouco me tornar a árvore
me tornar o capim dessa campina
me tornar a névoa
acalmar-me em seu movimento de vagar

e ser esse quadro toda a poesia
ser um conforto para qualquer tormento
uma oração do monte
ser o esquecimento
a eternidade e o momento







segunda-feira, 3 de julho de 2017

Enquanto






espero um pouco mais
antes de dormir
antes do corpo vencer os pensamentos
e concordar com tudo que não foi ainda

espero a chuva passar
a água ferver
o sinal abrir
o malabarista, na pausa dos carros
por alguns trocados
pela atenção

espero, sem atropelo
sem hora certa
sem dia certo
mesmo na incerteza do que será

esperar
por vezes é tudo que se pode ter
na ação mais dura
ante a vida urgente

esperar
desesperadamente
só por saber por que espero
sem questionar
por que quero