segunda-feira, 17 de julho de 2017

Espera





por algum bem
permanecer distante
desejo educado
represa plena  no silêncio das suas águas

um mar em um copo
o mundo num bolso
a sinfonia no papel
a história no papel
livros fechados

a memória na carne
que suspira pela janela do olhar

a visão que se completa
a canção que interpreta
a razão que vira fera
a espera
a espera...



quarta-feira, 5 de julho de 2017

momento








Queria, nessa imagem, estar
ficar apenas em silêncio
e olhar, olhar...

pouco a pouco me tornar a árvore
me tornar o capim dessa campina
me tornar a névoa
acalmar-me em seu movimento de vagar

e ser esse quadro toda a poesia
ser um conforto para qualquer tormento
uma oração do monte
ser o esquecimento
a eternidade e o momento







segunda-feira, 3 de julho de 2017

Enquanto






espero um pouco mais
antes de dormir
antes do corpo vencer os pensamentos
e concordar com tudo que não foi ainda

espero a chuva passar
a água ferver
o sinal abrir
o malabarista, na pausa dos carros
por alguns trocados
pela atenção

espero, sem atropelo
sem hora certa
sem dia certo
mesmo na incerteza do que será

esperar
por vezes é tudo que se pode ter
na ação mais dura
ante a vida urgente

esperar
desesperadamente
só por saber por que espero
sem questionar
por que quero





terça-feira, 13 de junho de 2017

Roubado





fui roubado mais que o devido
por muitos ladrões impunes
esses ladrões invisíveis
que entram pela janela, pela tela
pelos olhos e ouvidos

roubando o precioso tempo
quebrando memórias
que estavam cuidadosamente guardadas
como objetos delicados
mas que pra esses ladrões não têm mesmo valor

roubaram a inspiração, a idéia
o gosto, a alegria
justo por eu não manter a porta trancada
o portão da rua fechado
o cofre do sentimento segredado

e fico a pensar
será que saberão o que fazer com o que foi roubado?
terão o cuidado com cada uma das coisas
cada uma das imaterialidades
que valor as tornará?

levaram tanto...
nem as palavras como amigas me restaram
para conversarem comigo
para consolarem esse réu nessa solitária
sem lei, sem direito, sem juiz

queria que fosse como um livro roubado
que quem roubou mudasse a vida com a leitura
que virasse a página

mas nem sempre temos a sorte
de um bom engano
de ficar na mão
de ter sido feito por um bom ladrão






terça-feira, 30 de maio de 2017

ícaro lunar




foi tão perto
por ali, não sei onde
mas pude sentir que aquela tarde
que ia se desfazendo em cores
também avançava sobre mim

a cidade virou um labirinto
enquanto me crescia por dentro
um desejo de Ícaro lunar
para do alto, tornar tudo mais simples
poder te avistar

longa espera por essas asas
onde o silêncio pousou
onde a noite pousou
onde se perdeu o caminho
a jornada

já amanhecia
e era preciso ignorar, por fora
o que me fez noite e silêncio
em algum lugar por ali
que não deveria
estava tão longe
inesperadamente ali...






terça-feira, 23 de maio de 2017

Perdedor





ando perdendo
não como mal jogador
pois não há jogo
que entenda a regra do amor

colecionando horas
pequenas
longas
maiores que o tempo

ando perdido
no momento
no cálculo exato
que é certo e preciso
plano, liso, que é fato
sem poder dividir
elevar, equacionar
sem ter raiz

bom perdedor talvez
de datas, de cotidianos que sejam
de sono, de sons e toques
de chegadas e de partidas

perder sem ter
privado à revelia
semente jogada ao fogo
que um desejo fantasia

perdedor
no corpo
no movimento
cavaleiro vencido
aqui parado,
e por dentro
a sensação de ter partido




segunda-feira, 22 de maio de 2017

Presente






ficou no corpo
o toque alumbrado
das tão poucas vezes presente
na porção vital do perto
vezes tão poucas

uma raridade
que não permite o domínio
seja de reis ou senhoras
não cede ao império das normas
nem mesmo a sensatez da ética
ou a sua crueldade

seja o que for
o que será mais que o presente?
presente, condição inigualável
nada mais que o estar
maior ação que o verbo pode ter

presente, em silêncio, ser
em silêncio sim
forma mais eficaz de usar o tempo
a vez

talvez, seja a forma de se encontrar
ou o porquê para este perdido

sem o encontro
o caminho será todo lugar
qualquer lugar não haverá destino
serão apenas coisas, muitas
tempos, muitos
coisas demais
tempos demais
tudo demasiado

poucas vezes
vezes tão poucas
e em cada,
demasiadamente tanto...